10 de abril de 2012

Viveiros do Furadouro - 20 anos a produzir plantas

Gosto do meu trabalho

"Se os holandeses produzem com tanto sucesso plantas ornamentais e hortícolas em estufas tecnologicamente avançadas, porque é que não podemos produzir plantas florestais seguindo os mesmos métodos?” – com esta questão, Paul Cotterill lançou um desafio, entusiasmando muitas mentes e incomodando outras, que se interrogavam sobre a viabilidade de um projecto tão ambicioso e diferente.

Novembro 1991 - Sr. Malícia, Paul Cotterill e Ivone Neves

Foi no início de Abril de 1992 que iniciamos a produção de plantas nos Viveiros do Furadouro. Posso dizer que nesses primeiros meses tremíamos todos os dias - tudo era novo nesta nova unidade: as primeiras sementeiras, a propagação vegetativa, o controlo ambiental, a movimentação das bancadas, a organização e o registo da informação, a faturação das plantas. E erramos, passamos por grandes sustos, vivemos desilusões. As geadas, os insucessos das produções, a gestão do pessoal, as encomendas não levantadas, as plantas que deitamos para o lixo.

Maio 1997 - Angelo Marques, João Reis, Ivone Neves, Valentim Raimundo e António Figueiredo 

Em Óbidos e em 2012, podemos concluir que a frase de Nietzsche continua a ser válida, o que não nos mata torna-nos mais fortes.
Tentamos nunca perder o nosso rumo e perseguir a nossa missão que afinal é muito clara mas nem sempre fácil de atingir: produzir as melhores plantas, contribuindo para que sejam plantadas na estação e na época mais adequada.

Passados 20 anos, e vividas muitas preocupações e ainda mais alegrias, cabe-nos dar razão a quem sonhou com uma estufa de vidro sofisticada para produzir eucaliptos. Foi um bom projecto que continua a funcionar em pleno e ainda hoje é considerado uma referência na produção de plantas florestais. Para além das visitas solicitadas pela Altri (colegas, clientes, empresas do mundo inteiro), recebemos e mostramos o que fazemos a associações florestais, universidades e escolas. O interesse das crianças, mesmo as mais pequeninas, quando olham para um pinhão a germinar leva-nos a crer que contribuímos com a nossa gota de água para que as próximas gerações se relacionem de forma mais inteligente e lúcida com o que nos rodeia.

Novembro 2011 - Os meninos das escolas de Óbidos aprendem nos Viveiros do Furadouro

Percebemos que nesta actividade nada se pode copiar. O que se passa no viveiro do vizinho (ou da grande empresa além-mar), pode apenas servir-nos de inspiração. O que os outros fazem não é copiável; o que nós fazemos os outros não podem imitar. Por isso acreditamos que a troca de experiências e de conhecimento não nos prejudica e só nos pode enriquecer.
Os condicionalismos ambientais, a localização, a qualidade da água, a especificidade dos materiais que produzimos, a disponibilidade das matérias-primas, as competências operacionais e de gestão e a própria cultura dum país ou duma região são factores determinantes que temos que conhecer para que possamos desempenhar a nossa actividade com a qualidade que a floresta e os nossos clientes merecem.

Setembro 2010 - os Viveiros do Furadouro

Sem dúvida, continuamos a aprender, uma campanha de produção nunca é igual à anterior. Curiosidade, empenho e entusiasmo são ingredientes que não se esgotam e que nos empurram para a mudança: melhoramos equipamentos, experimentamos técnicas de produção, inovamos mesmo que as alterações possam conduzir temporariamente ao desconforto.

Desde o início que a Graça, o Figueiredo, a Lurdes, a Dália, a Lígia, a Sílvia, a Ana Isabel, a Cristina, o Emídio e o Telmo têm estado connosco. Não só estes como também outros, os que já partiram, os que rumaram noutras direcções e os que entretanto se juntaram a nós, são a espinha dorsal dos Viveiros do Furadouro. Constituímos uma equipa responsável e dedicada, barafustamos e discutimos, muitas vezes não concordamos à primeira, mas sabemos que todos podem contar com todos e só assim se compreende o bom ambiente que existe entre nós. Acredito que este é um dos ingredientes mágicos para que uma organização possa sobreviver mesmo em tempos difíceis como os que atravessamos.


 
Abril 2012 - o soprar das velas: PARABÉNS VIVEIROS DO FURADOURO!

Que venham mais 20 anos!


7 comentários:

  1. E parabens também da nossa parte, aquele cliente chato, mal-organizado, sempre a alterar os planos que vai pelo nome de direção de produção. Onde estariam as nossas plantações sem os vossos contributos valiosos?
    É um marco notável, os vinte anos. E é um belo post, sim senhor! Conto convosco para os próximos vinte, que não serão menos exitantes que os agora terminados.

    Um grande abraço e um grande obrigado a toda a equipa dos Viveiros do Furadouro!

    ResponderEliminar
  2. Parabéns a todos pelos 20 anos dos Viveiros do Furadouro. Excelente post. Beijos e Abraços

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Ivone e parabéns a toda a equipa.

    20 anos não é para qualquer um!

    Abraço,

    Rui

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns pelos 20 anos dos viveiros, a ti, a toda tua equipa e a todos os que contribuem ou contribuíram para este sucesso. Obrigado pelo post inspirador. Temos blogger! Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Fazendo minhas as palavras anteriores, quero deixar os meus sinceros parabéns à equipa, a tal que a Ivone falou: os que estão e estiveram, pois foram, e são, eles que fazem os Viveiros do Furadouro tal como os conhecemos.
    Venham mais 20!!
    Parabéns pelo post.

    Carlos Neves

    ResponderEliminar
  6. Almeida Morgado (Ex-chato confesso!)11 de abril de 2012 às 12:49

    Éramos todos mais novos!
    Agora (não, não é estarmos mais velhos), é o privilégio de podermos relatar, na primeira pessoa, todas essas etapas que foram sendo cumpridas, com êxito, e que em muito contribuíram para a grandeza e prestígio da nossa empresa (agora Grupo Altri).
    São (foram) projectos como esse, que nos enchem de orgulho e nos motivam para novos desafios. Sentimos que vale a pena! Que somos úteis! Que produzimos resultados inovadores e muito positivos. Que merecem o reconhecimento de toda a organização, de toda a fileira nacional e até com ecos no estrangeiro!
    Os Viveiros do Furadouro são um importante marco da nossa história!
    Por isso tudo, estão (estamos) de parabéns!
    Força para novos desafios.

    Almeida Morgado

    ResponderEliminar
  7. Parabéns Ivone. Foi bom rever-vos e aos viveiros.

    ResponderEliminar